CARDIOLOGIA PEDIÁTRICA.

Horário Funcionamento:
de segunda à sexta das 08h às 21:30h,
e sábado das 8h às 18h

A cardiologia pediátrica é o ramo da medicina destinado a cuidar das pessoas que nascem com problemas no coração (cardiopatia congênita) ou que o adquirem ao longo da infância ou adolescência. Não vale pensar que a criança é um adulto pequeno, isso não acontece, e sendo assim a prevalência das doenças do coração observadas na infância são bem diferentes das observadas nos adultos. O título de especialista pode ser obtido através da especialização prévia em cardiologia clínica ou pediatria.
O profissional está habilitado a acompanhar crianças saudáveis que praticam atividade física regular ou pacientes com alguma doença sistêmica (obesidade, diabetes, hipertensão arterial) no intuito de prevenir o desenvolvimento da síndrome metabólica (que aumenta o risco do desenvolvimento de doenças cardiovasculares).

A cardiologia pediátrica é o ramo da medicina destinado a cuidar das pessoas que nascem com problemas no coração (cardiopatia congênita) ou que o adquirem ao longo da infância ou adolescência. Não vale pensar que a criança é um adulto pequeno, isso não acontece, e sendo assim a prevalência das doenças do coração observadas na infância são bem diferentes das observadas nos adultos. O título de especialista pode ser obtido através da especialização prévia em cardiologia clínica ou pediatria.
O profissional está habilitado a acompanhar crianças saudáveis que praticam atividade física regular ou pacientes com alguma doença sistêmica (obesidade, diabetes, hipertensão arterial) no intuito de prevenir o desenvolvimento da síndrome metabólica (que aumenta o risco do desenvolvimento de doenças cardiovasculares).

As cardiopatias congênitas podem ser diagnosticadas na gravidez (durante ecocardiograma fetal), na infância, adolescência ou passar despercebidas até a idade adulta, quando começam a apresentar os primeiros sintomas. Nestes casos, o acompanhamento também pode ser feito pelo cardiologista pediátrico.
No caso de diagnóstico intra-útero, a gestante pode agendar uma consulta para tirar dúvidas sobre a patologia e informar-se das opções terapêuticas disponíveis, programando o parto para um hospital onde tenha facilidade de acesso à UTI e equipe de cirurgia cardíaca, caso seja necessário.

As cardiopatias congênitas podem ser diagnosticadas na gravidez (durante ecocardiograma fetal), na infância, adolescência ou passar despercebidas até a idade adulta, quando começam a apresentar os primeiros sintomas. Nestes casos, o acompanhamento também pode ser feito pelo cardiologista pediátrico.
No caso de diagnóstico intra-útero, a gestante pode agendar uma consulta para tirar dúvidas sobre a patologia e informar-se das opções terapêuticas disponíveis, programando o parto para um hospital onde tenha facilidade de acesso à UTI e equipe de cirurgia cardíaca, caso seja necessário.

A grande maioria dos encaminhamentos ocorre devido à ausculta de “sopro” cardíaco durante consulta com o pediatra, mas deve ficar claro que o “sopro” não é uma doença e sim um sinal de que algo pode estar errado. A grosso modo, podemos compará-lo a um episódio de febre: ninguém está doente de “febre”, mas esse é um sinal de que algo pode estar errado com o paciente. Os “sopros” podem ser “inocentes”: simplesmente existem, mas nada está errado com o coração; ou revelar alguma alteração estrutural, desde problemas mais simples de serem resolvidos até patologias graves. É função do cardiologista pediátrico diferenciá-los (através da história clínica aliada a exames complementares) e apresentar a melhor proposta terapêutica para a família: existem patologias que são acompanhadas clinicamente, outras que melhoram com o uso de medicação, as que precisam de cirurgia eletiva (programada) ou de urgência e às que podem ser resolvidas por cateterismo.

A grande maioria dos encaminhamentos ocorre devido à ausculta de “sopro” cardíaco durante consulta com o pediatra, mas deve ficar claro que o “sopro” não é uma doença e sim um sinal de que algo pode estar errado. A grosso modo, podemos compará-lo a um episódio de febre: ninguém está doente de “febre”, mas esse é um sinal de que algo pode estar errado com o paciente. Os “sopros” podem ser “inocentes”: simplesmente existem, mas nada está errado com o coração; ou revelar alguma alteração estrutural, desde problemas mais simples de serem resolvidos até patologias graves. É função do cardiologista pediátrico diferenciá-los (através da história clínica aliada a exames complementares) e apresentar a melhor proposta terapêutica para a família: existem patologias que são acompanhadas clinicamente, outras que melhoram com o uso de medicação, as que precisam de cirurgia eletiva (programada) ou de urgência e às que podem ser resolvidas por cateterismo.

As doenças do coração podem manifestar-se durante a infância sob a forma de dificuldade às mamadas, sudorese intensa, baixo ganho de peso, cianose (coloração arroxeada ou azulada da pele), palpitação (sensação de “batedeira” no peito), desmaios ou até mesmo convulsões (relacionadas a baixa oferta de oxigênio ao cérebro). Quando um sintoma cardiovascular aparece, a consulta com um profissional especializado permite fazer o diagnóstico ou afastar o diagnóstico de uma patologia cardíaca.
O cardiologista pediátrico, que também atue como pediatra, pode ainda fazer o acompanhamento de puericultura (crescimento e desenvolvimento) da criança e tratar patologias comuns da infância.

As doenças do coração podem manifestar-se durante a infância sob a forma de dificuldade às mamadas, sudorese intensa, baixo ganho de peso, cianose (coloração arroxeada ou azulada da pele), palpitação (sensação de “batedeira” no peito), desmaios ou até mesmo convulsões (relacionadas a baixa oferta de oxigênio ao cérebro). Quando um sintoma cardiovascular aparece, a consulta com um profissional especializado permite fazer o diagnóstico ou afastar o diagnóstico de uma patologia cardíaca.
O cardiologista pediátrico, que também atue como pediatra, pode ainda fazer o acompanhamento de puericultura (crescimento e desenvolvimento) da criança e tratar patologias comuns da infância.

UMA FORMA ESPECIAL DE CONSULTA

Em nossa clínica você encontrará um ambiente aconchegante e descontraído, com profissionais extremamente atenciosos à sua necessidade. É comum que as crianças sintam-se acuadas em ambientes que não estão em sua rotina, por isso, nossos profissionais são extremamente carinhosos e cuidadosos, garantindo uma consulta tranquila e agradável.

Andréa

 

 

Drª Andréa Telino Macau Andrade
CRM 180.104

 

 

 

- Graduação em Medicina pela Universidade Federal Da Paraíba (2011)
- Pós-graduação (Especialização) em Saúde da Família promovido pela Universidade Aberta do Sistema Único da Saúde | Universidade Federal de Pernambuco (2013 – 2014)
- Residência Médica em Pediatria pelo Hospital Universitário Onofre Lopes e Maternidade Escola Januário Cicco (UFRN) (2014 - 2016)
- Residência Médica em Cardiologia Pediátrica e Cardiopatias Congênitas pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia (2016 – 2018)

Agende com a Drª Andréa Telino Macau Andrade preenchendo o formulário ou entrando em
contato por:
 (11) 5579-9090
 (11) 93014-0007
 contato@espacodescomplicado.com